The Great Dictator satiriza o nazismo, o fascismo e seus maiores propagadoresAdolf Hitler e Benito Mussolini.
"O Grande ditador" é um filme dirigido e interpretado por Charles Chaplin, que foi lançado na época da 2ª Guerra Mundial antes dos Estados Unidos ter entrado no conflito. Foi mais ou menos semelhante ao Tropa de Elite 2, que foi à cartaz bem na época que ocorreram aquelas invasões na favela do alemão. Às vezes fico pensando: que baita duma sorte essas produtoras do filme, hein? Apesar dos casos aparecidos, creio que O Grande Ditador, apesar de ter sido lançado em um ótimo momento, não teve tanta repercussão pois o cinema ainda não tinha tanto público e tanta influência.

Minha irmã me disse que nos EUA, em umas das atividades, foram expostos discursos fictícios ou não que serviriam de inspiração para a criação de novos. Dentre os vídeos exibidos, estava "o final de O grande ditador", mais conhecido como o discurso final. Vejam:


Só vi o discurso, ainda não assisti o filme. Mas em breve!

Falando em assistir filmes, vi uma resenha de um no blog "ler para contar", e resolvi baixá-lo e assisti-lo em um fim de semana tedioso. A partida conta a história de um rapaz violoncelista desempregado, que se vê enclausurado e acaba aceitando trabalhar em um departamento que presta serviços à funerárias. O trabalho realizado pelo jovem é uma espécie de processo de "purificação" - mas, literalmente limpeza - de cadáveres. O filme é bem dramático e diferente da maioria que se vê por aí nas locadoras da vida, como por exemplo, o fato de ter pouca trilha sonora. Além do emprego desconfortante e mal visto pelos outros, o personagem ainda carrega outros problemas, como o trauma do abandono do pai.










Se não me engano, foi o primeiro filme japonês que assisti na vida, ou pelo menos, foi o primeiro filme que assisti sabendo que foi produzido no Japão. Achei bastante interessante as diferenças GRITANTES de costumes, pelo menos em relação aos dos brasileiros. Uma das cenas mais interessantes que vi foi quando o grupo de violinistas se desfaz: o patrocinador chega na sala, e sem precedências alguma, avisa à todos que a orquesta fora dissolvida. Todos abaixam a cabeça e se retiram da sala sem dizer absolutamente nada. Gente, imagina se isso acontece no Brasil? hahaha